.… era o título que este texto deveria hoje ter. Mas eu, Lorde Supremo da Casa do Fogueteiro (Lorde Chamas), não posso ser um coração mole nesta hora difícil, 8:08. Esta carta tem o nome de "Adeus, Fertagus..." Não, larga-me a mão. Não chores, 8:08… odeio. Odeio ver-te chorar. Deixa-me secar-te os faróis dianteiros. Não buzines, por favor não buzines que *FUEEEEEEN* pronto… buzinaste! Sabes que odeio quando buzinas e assustas as pessoas. Sim, eu sei que o maquinista tem pressa para arrancar, mas nem todos têm culpa das tartaruguinhas de plataforma mais a sua mania de irem especadas a olhar para o telemóvel a entrar na carruagem. Estás mais calma? Podemos falar os dois? Abre lá a porta para eu entrar. E abriste do outro lado da plataforma… porquê? Estás a castigar-me não estás, 8:08? Ok, eu vou dar a volta para o outro lado da linha.

Já aqui estou. Fechaste a porta agora deste lado e abriste do outro. Bonito, sim senhor. Dois anos de relação e agora estás a comportar-te como um autêntico comboio de brincar. Não buzines… não buzi… *FUEEEEEEN*. Desculpa. Não devia ter-te chamado comboio de brincar. Abre lá a porta para podermos falar os dois a sós. Deixa-me sentar aqui, no meu lugar preferido, 8:08. Lembras-te da primeira vez que nos vimos? Ainda eras 8:06 nesse dia quando passaste estrondosa por mim e eu senti o vento na minha cara. Esguia e elegante de vestido azul e branco. Paraste mais à frente e fizeste-me correr, 8:08. Entrei, vi o meu lugar sem ninguém e pensei “porque não?”. Arrancaste suavemente e deste uma aceleradela mais a fundo para me impressionar. Senti-me provocado, vou ser sincero. Claramente, não eras um comboio como os outros, porque nunca tive de esperar por ti muito tempo.

 O… o que foi? Não, não há outro comboio. 8:08, eu estou a dizer que… não… não faças isso… não *FUEEEEN*. Ok, foi uma vez. Atrasei-me a tomar o pequeno-almoço e apanhei o das 8:18. Foi uma vez, ok? Não significou nada. Até fui em pé, vê lá tu. Jamais me poderia sentar no mesmo banco onde me sentava dentro de ti. Mas não vamos deambular mais pelo passado, 8:08. Temos de falar a sério. Eu… eu… eu quero que saibas que cada um tem de seguir o seu caminho. Hoje, aqui e agora. Cada um vai para seu lado quando chegarmos a Entrecampos. Não sejas infantil e pares no meio da ponte a fazer birra, 8:08. NÃO HÁ NENHUM SINAL A DIZER PARA PARARES EM PLENA PONTE, 8:08! Pronto. Agora estamos parados na ponte os dois. Eu sei o que estás a fazer, 8:08. Sim, já vimos muitas vezes o mar e o nascer do sol. Foram dois anos que jamais esquecerei. Hoje vai ser a última vez que… PODES POR FAVOR SEGUIR CAMINHO E DEIXARES DE SER COMBOIO DE BRINCAR? Obrigado. Não bufes. Fazes esse som de bufo de vez em quando e eu sei o que isso significa. Conheço todos os teus pormenores, sabias? Aquele som do disjuntor ou lá o que é e que faz *BZZZZZZT*. Quando fazes aquele *PLACK* que assusta todos e reinicias qualquer coisa eléctrica que eu nunca percebi bem. Mas tu és assim: misteriosa. Um espírito livre, não é? Outros virão de futuro, 8:08. Um novo Lorde Chamas irá surgir e tomar o meu lugar. Sim, eu sei que estás a pensar nele. Já o vi lá sentado… mas ele não é um bom Lorde Chamas. Eu não acho que ele seja bom para ti, 8:08. Não é ciúmes, é só uma constatação e...SIM. É CIÚME. PRONTO! Quantas vezes o achei no meu banco? NO NOSSO BANCO, 8:08! Não tens vergonha na catenária? Deixa, agora não importa chorar sobre o passado.

Estamos a chegar, 8:08. Já estou a ver a plataforma a aproximar-se. Vou-me levantar uma última vez e tocar neste banco, olhar à volta e tropeçar no raio das escadas por ir a olhar para o telemóvel. Abre a porta, 8:08. Não me quero repetir, 8:08. Podes abrir a porta para eu sair? 8:08, não adianta de nada. Isto está a acontecer, não podemos fazer nada. ABRE! Obrigado. Deixa-me olhar-te uma última vez. Espera, vou para o meio da linha para nos podermos ver olhos nos faróis. Já me esquecia como és a coisa mais linda "desta Margem para a Outra". Vou encostar a minha cara ao vidro e beijar-te *chuack* O maquinista está a falar ao walkie-talkie com alguém e a dizer "está um maluco qualquer colado ao vidro e a beijar o comboio de olhos de fechados". Não quero saber, 8:08. Ninguém nos vai tirar este momento. Ninguém. Eles estão a vir, os seguranças de verde. Estão a puxar-me as pernas, a quererem separar-nos aos dois. "Desalarguem-me", seus espargos opressores! Adeus. Nunca te esquecerei…. nunca.

FUEEEEEEEEEEEEEEN… sniff

Lorde Chamas saiu da estação. Adeus, Fertagus….

Está oficialmente encerrada a rubrica #passemilionário e #87eurosdepasse no Ruim. Obrigado a todos pelas partilhas e por estes dois anos fantásticos.

T-shirts

t shirts do ruim

T-shirts do Ruim na loja online do Cão Azul.

COMPRAR T-SHIRTS

O Livro do Ruim

livro do ruim

A compilação dos melhores textos da página e com prefácio do não tão conhecido Quimera.

COMPRAR O LIVRO

Quem?

ruim o rui conceicao

O auto-proclamado autor, guionista, blogger e comediante.