Na pior das hipóteses

Nunca tinha visto tanta revolta e controvérsia pela alteração de um escalão de IVA. Realmente, as pessoas têm mesmo um grande amor ao código fiscal neste país e é de estranhar porque é que ainda se preenche a declaração de IRS como se fosse um Totobola. Estou muito surpreendido com esta questão do IVA das touradas, especialmente porque o meu dealer não paga impostos, daí ter assumido que actividades moralmente reprováveis estavam isentas de tributação.

O argumento para a subida do IVA é que a tourada não é de todo uma forma de cultura. Discordo, pois se há coisa que a tourada tem cultivado é atrasados mentais ao longo dos anos, mas vamos deixar semântica de lado e concentrar-nos no que mais interessa: bebida.

Por exemplo, o leite é taxado a 6% dado ser um bem de primeira necessidade. Ora, se eu não bebo leite, deixa de ser primeira necessidade para mim. Certo? Por outro lado, uma das coisas que mais gosto é de beber um gin em jejum e faço-o, não porque estou no borderline do alcoolismo, mas porque gosto da fonia da expressão “gin em jejum”. Repitam comigo: “gin em jejum!”. É engraçado, não é? Imaginem então quando já estão com 4 gins no bucho às 11 da manhã. O álcool é taxado a 23%. Temos pena, lamento, realmente gostava muito que não fosse, mas alguém decidiu por mim. Não é um bem de primeira necessidade para a maioria e os bêbedos aceitam de bom grado que o IVA do seu sumo de estabilidade emocional seja de 23%. O meu ponto é este: a mesma coisa pode não ser a mesma coisa para todos, mas dado que vivemos numa democracia, regemo-nos pelo que a maioria decidiu por nós. Esta maioria é representada por aqueles senhores que estão todos sentados em círculo a pintar as unhas e a usar as passwords uns dos outros e se essas pessoas decidirem que o IVA das touradas é para subir, aquelas 17 pessoas que estão a protestar contra isso só têm é de aceitar tal como eu aceitei que o meu néctar anti- corte dos pulsos devido a um conjunto de problemas mal-resolvidos na minha vida seja de 23%.

Na pior das hipóteses? O IVA ficará pelos 6%. Tudo bem, ninguém morre por isso a não ser eventualmente alguns animais (de quatro patas, não de duas). No entanto, existe um silver lining nesta situação e que farei o meu melhor nos próximos parágrafos para vos explicar.
Dado ter ocorrido tanta controvérsia sobre este não-assunto de interesse nacional, o seguinte debate deverá ser levado ao Parlamento: alteração da taxa de IVA das consultas veterinárias para 6% (contra a actual de 23%). Sei perfeitamente que tratar animais não é cultura e muito menos tradição no nosso país, mas com uns ligeiros ajustes, podemos contornar esta questão.

De que maneira, perguntam vocês? Simples.

Antes de mais, todos os veterinários devem abandonar as batas e adoptarem aquela vestimenta altamente máscula de toureiro. À entrada no consultório são distribuídos uns corninhos para os donos colocarem nos animais, portanto, vamos ter cães-boi, gatos-boi, catatuas-boi e, na eventualidade de alguém levar um boi, um boi-boi. Dado que tourada é arte e espectáculo, também as consultas o deverão ser e por essa razão, todos os animais-boi deverão ser soltos na sala de espera para se engalfinharem uns nos outros. Pode custar ver um pitbull-boi passar à nossa frente com um gato-boi na boca para alguns, mas temos de perceber que se trata de cultura e tradição por isso está tudo bem. Entra o vetoureirinário na “arena”, os donos saúdam-no e depois é vê-lo a apanhar os animais-boi com uma rede de pesca. “Bravo!” – exclama o povo.


Vão-me dizer que ver um gajo a apanhar cães e gatos com uma rede de pesca não é entretenimento? Vocês sabem lá o que é espectáculo.


No final, todos os animais são tratados como deve ser. Precisam de tomar um comprimido? Dá-se o comprimido e espeta-se com um ferro na cabeça. Pronto, problema resolvido.

Estou a ser um palerma, eu sei. Se ao menos eu fosse o único.

Entretanto, decidi pôr umas orelhas de rato Mickey na cabeça e vou enfrentar a garrafa de gin da ganadaria Bombay-Sapphire a 23% de IVA que tenho na despensa. 

Olé.

T-shirts

t shirts do ruim

T-shirts do Ruim na loja online do Cão Azul.

COMPRAR T-SHIRTS

O Livro do Ruim

livro do ruim

A compilação dos melhores textos da página e com prefácio do não tão conhecido Quimera.

COMPRAR O LIVRO

Quem?

ruim o rui conceicao

O auto-proclamado autor, guionista, blogger e comediante.