A minha avó costumava levar-me a um jardim perto de casa dela para darmos milho aos pombos e pão molhado aos patos. Antes de irmos, dava-me duas colheres de Planta (para eu ter energia) e lá ia eu a rebol… a caminhar de mão dada com a mãe do meu pai. A Dona Lucinda (que o boneco imaginário a tenha) era uma senhora à antiga e muito terra a terra, ou seja, falava para as novelas como se aquilo fosse algo real e mostrava-me indignada as capas da “Maria” porque a Lucineide da novela das 20:00 andava enrolada com o Coronel (penso eu que na mesma novela, mas aquilo era uma put**ia que não lembra a ninguém). A minha avó costumava levar-me a um jardim perto de casa dela para darmos milho aos pombos e pão molhado aos patos. Antes de irmos, dava-me duas colheres de Planta (para eu ter energia) e lá ia eu a rebol… a caminhar de mão dada com a mãe do meu pai. A Dona Lucinda (que o boneco imaginário a tenha) era uma senhora à antiga e muito terra a terra, ou seja, falava para as novelas como se aquilo fosse algo real e mostrava-me indignada as capas da “Maria” porque a Lucineide da novela das 20:00 andava enrolada com o Coronel (penso eu que na mesma novela, mas aquilo era uma put**ia que não lembra a ninguém). 

 

12020059 1658251454460126 3521370718237171845 n

E juntos lá íamos os dois pelo Campo Santana acima, de saco de milho numa mão e o do pão molhado na outra. Um dos meus passatempos preferidos era apanhar um bando de pombos e saltar para cima deles a gritar “AHA VOEM TODOS”. E eles voavam. Depois quis arriscar a ser aspirante de columbófilo e tentei alimentar um pombo à mão. Foi giro uns segundos. Até os outros 70 terem visto em mim um dispensador de milho em forma de bola e me atacarem todos em voo picado.

“Ó VÓOOOOOOOOOO” – gritei eu para a minha avó Lucinda.

“Ai o meu rico menino” – diz a minha avó Lucinda enquanto dava com a bengala nos pombos (Zero. Não acertou em nenhum).

Fui para casa a chorar e de mão dada com a minha avó, que insistia em dizer à vizinhança que os pombos me tinham tentado comer (os vizinhos julgavam que a minha avó era xexé e que contou a coisa ao contrário). Nunca mais dei milho aos pombos e passei apenas a dar miminhos de pão molhados aos patos e sinceramente, passados estes anos todos só tenho isto a dizer: os pombos são todos uns filhos da p***.
Tenho saudades da minha avó!

T-shirts

t shirts do ruim

T-shirts do Ruim na loja online do Cão Azul.

COMPRAR T-SHIRTS

O Livro do Ruim

livro do ruim

A compilação dos melhores textos da página e com prefácio do não tão conhecido Quimera.

COMPRAR O LIVRO

Quem?

ruim o rui conceicao

O auto-proclamado autor, guionista, blogger e comediante.