#gordismo

  • Ter sido o menino gordo nos meus tempos de meninice em Alhos Vedros, sem jeito nenhum para a bola, foi das experiências mais enriquecedoras que tive. Comigo nunca sobrava nada no pratinho e coitado do meu cão Mondego que nunca se safava com restos da minha parte, aliares, tenho memória que quando eu ainda era amamentado ele era um portentoso Serra da Estrela e quando comecei a comer à mesa ele virou uma espécie de lobo Chihuahua com a fominha que passava. Ser bom garfo aos 10anos é uma sina e podia usar aquela reza para os outros que era um problema de glândulas. Era, se entrecosto com glândulas ou favas com glândulas fosse um problema.

  • Se vocês forem como eu, não fizeram muitas refeições na última semana de Dezembro. Fizeram apenas uma que começou a 24 e terminou a 31. E depois disto olhei de soslaio para um espelho que tenho no quarto e por momentos pensei que estava a ver o teaser do novo Star Wars porque estava lá o Jabba The Hut reflectido. E é em momentos destes em que se saímos de sobretudo bege à rua já nos chamam de táxi, que nos ocorrem ideias de merda tais como começar a correr diariamente. O problema é que eu quando vou correr, além de parecer um leitão de Negrais patrocinado pela Decathlon, começo a magicar todas as desculpas para não o fazer.

  • Olá, besta. Pousa lá o donut que estou a falar contigo. Limpa os dedinhos do açúcar para não manchares o touchscreen/teclado e ouve-me. Queres saber se és um alarve? Queres que te poupe euros em dietas que não levam a nada? Queres que te elucide que não há nada que ingiras que seja detox, e que todo o processo de desintoxicação que ocorre no teu corpo é processado pelo teu fígado e rins e que andas perdido em modas? Calma, badocha. Eu estou aqui. Elaborei um teste simples para ti e para os badochinhas dos teus filhos.Olá, besta. Pousa lá o donut que estou a falar contigo. Limpa os dedinhos do açúcar para não manchares o touchscreen/teclado e ouve-me. Queres saber se és um alarve? Queres que te poupe euros em dietas que não levam a nada? Queres que te elucide que não há nada que ingiras que seja detox, e que todo o processo de desintoxicação que ocorre no teu corpo é processado pelo teu fígado e rins e que andas perdido em modas?

  • 1) Acaba de comer e olha para o prato da frente, para a pessoa e novamente para o prato, até ouvir o esperado "queres um bocado?"

    2) Pão na mesa. Gordo precisa de pão na mesa, mesmo que esteja a comer uma dourada. E sim, molha o pão na dourada.

    3) É o caixote de lixo dos restantes. Não consegues comer tudo? Passa para a trituradora portátil.

    4) Comeu por três, diz que está cheio, mas quando ouve "alguém quer uma sobremesa?" vira criança subnutrida de braço no ar. 

  • Como é que foi ontem com aquela maluca?

    Ui...- Foi assim tão bom?

    Lembras-te quando a vi e disse que ela tinha cara de fazer tudo?

    Sim..

    Pois..

    Não posso. A sério? Os três...

    PRATOS. Os três pratos. Assim. Logo na primeira vez.

    E como é que foi? Vá, conta lá...

  • Nível 1

    "Tenho aqui uns pãezinhos, um queijo por abrir e metade de um chouriço alentejano. Se calhar vou dar um toque ao puto para aparecer com tinto."

    Nível 2

    "Trouxeste tinto, branco e rosé porque não tinhas a certeza do que se ia comer? Bom, sendo assim, vou tirar ali o camarão da arca. Nem sabia que ainda tinha aqui amêijoas. Queres dar um toque à Sandra para vir cá petiscar também?

    Nível 3

    "Parecia que estava adivinhar que estavas na tua mãe, Sandra. A dona Fátima mandou isso tudo para nós? Bom, não pode sobrar nada."

    Nível 4

    "Ainda bem que pudeste vir, Tiago. Cuidado com os patos que estão no meio da sala. Estão com ciúmes dos perús. Bom, liguei-te porque sabemos que costumas ir à matança do porco na aldeia do teu pai. Tens aqui três para escolheres. Precisas de faca? Vou ver o que para ali tenho. Ah, tens aqui pão, queijo e metade de um chouriço alentejano, se te der a fome entretanto."

  • Deixem-me contar uma pequena história para vos inspirar...

    Há coisa de mais ou menos um mês mudei a minha alimentação. Nada de mais, apenas pequenas alterações. Abandonei o açúcar, fritos e - praticamente - todos os hidratos. Não custa assim tanto, basta usar um pouco a imaginação para manter a sanidade alimentar. Continuo a comer bastante carne e peixe (grelhados na sua maioria) mas acompanho sempre com salada ou legumes (frescos, cozidos, assados, salteados, etc). Ao início é estranho deixares as guarnições tradicionais, mas depois a coisa até ganha alguma piada. Descobri que gostava de beringela. Não sabia. É fixe. Comecei a sentir-me realmente melhor e, inclusive, notei uma ligeira perda de peso.

T-shirts

t shirts do ruim

T-shirts do Ruim na loja online do Cão Azul.

COMPRAR T-SHIRTS

O Livro do Ruim

livro do ruim

A compilação dos melhores textos da página e com prefácio do não tão conhecido Quimera.

COMPRAR O LIVRO

Quem?

ruim o rui conceicao

O auto-proclamado autor, guionista, blogger e comediante.